Delicadeza é o verdadeiro nome deste disco
por Jorge LZ

o muitas as sensações que o disco Pra Viagem provoca.
Todas elas muito boas.
Mas o que mais impressiona é a delicadeza do universo criado por Kika.
Por ele somos abraçados e dele não temos vontade de sair.
O silêncio é valorizado e, combinado a um tempo próprio que flui naturalmente, faz com que a audição das oito faixas do disco se transforme numa experiência repleta de boas surpresas.
Seja nas belas letras intimistas ou nos arranjos cuidadosamente elaborados, apesar de sentirmos uma certa familiaridade, nada ali é óbvio, muito pelo contrário!
A cada "esquina" dobrada no andamento das canções nos deparamos com paisagens sonoras oníricas construídas com o mais puro bom gosto e executadas com extrema precisão.
Certamente todo esse encantamento se dá pelo fato de Kika saber o que quer mesmo que sua cabeça flutue como é bem descrito na sublime e beatlemaníaca Pulso:
".. o chão em cada pé e a cabeça no espaço sonhando, fazendo o que faço..."

Extremamente sofisticado e ao mesmo tempo muito simples, o disco é de uma beleza brutal.
Um aroma de Tropicália, Beatles e Jamaica paira no ar sem que a originalidade seja comprometida.

Citando mais uma música do disco, a derradeira Sem Saber:
“... muitos querem ser iguais, alguns querem ser algo mais...”.
Kika consegue ser algo mais sendo ela mesma.